Estudantes de Pouso Alegre conquistam dois ouros na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica

Seis estudantes da Escola Municipal Dr. Ângelo Cônsoli, em Pouso Alegre, no sul do estado, conquistaram medalhas na edição 2021 da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica. Alunos da rede municipal conquistaram dois ouros e quatro pratas.

As provas da Olimpíada aconteceram de forma online em maio deste ano, mas o resultado final foi divulgado apenas agora, no mês de agosto. Um dos medalhistas de ouro foi o jovem Matheus Oliveira Almeida Silva, que está ainda no sexta ano. “Foi bem interessante, eu gostei bastante. Estou no caminho certo, estudando direitinho e isso é um grande aprendizado pro futuro”, diz o estudante. “É um orgulho ter um filho como o Matheus. Eu vejo como ele é aplicado em casa. Ele se esforçou bastante, então é um orgulho muito grande ver ele brilhando nesse caminho”, destaca a mãe do medalhista, Patrícia de Oliveira Almeida Silva.

Responsável pela outra medalha de ouro de Pouso Alegre, João Pedro Souza Figueiredo é aluno do nono ano e poderá representar a cidade até mesmo na etapa internacional da OPA caso passe nas seletivas. “Achei bem legal participar e fiquei bem feliz por ganhar a medalha de ouro. Acho que vai ser um grande desafio, vamos ver se vou conseguir passar e representar a cidade”, afirma o medalhista dourado.

Única representante do sexo feminino entre os medalhistas, Yasmim Machado Faria também é aluna do nono ano e comemorou a medalha de prata: “Eu não acreditei que conseguiria a medalha, mas eu fiquei feliz. Gosto bastante de Astronomia, então eu gostei. Incentiva a estudar mais ainda”.

A Escola Municipal Dr. Ângelo Cônsoli conquistou ainda mais três medalhas de prata com Matheus Henrique de Oliveira, Matheus Ferreira Corrêa e Rafael Garcia Pereira. “Eu achei muito a gente ter participado dessa edição da OBA e estou muito feliz por ter conseguido a medalha. Muito obrigado à professora que nos ajudou muito”, destaca Matheus Henrique de Oliveira. “Eu não esperava muito, porque ciência não é uma coisa que gosto tanto. Mas isso é um incentivo e com isso eu consigo também um pouquinho mais de autoestima”, ressalta Matheus Ferreira Corrêa.

Para a professora Vita Jacqueline Barone, uma das responsáveis pelos resultados dos jovens alunos, as conquistas demonstram que o trabalho tem sido realizado da forma correta. “Nós tentamos fazer um trabalho bem feito com o apoio da Secretaria de Educação. E nesse momento, com ensino híbrido, mostra que ele funciona. Na época da OBA, todos os dias eu colocava material pra eles estudarem. Com motivação e incentivo os meninos vão pra frente e esse ano nós estamos muito satisfeitos com o resultado. É uma satisfação profissional. É um orgulho pra nós da Escola Ângelo Cônsoli e pra toda rede municipal”, afirma.

Relacionadas

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Informe seu nome

Mais acessadas